(32) 991734242 contato@ovigilanteonline.com

Operação Mercador recupera carga de queijo avaliada em R$ 14 mil

Operação Mercador recupera carga de queijo avaliada em R$ 14 mil
PCMG/Divulgação

Golpe foi praticado em Muriaé e três pessoas foram presas por estelionato.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), recuperou, em Belo Horizonte, na última sexta-feira, 20 de agosto, uma carga de queijo muçarela, avaliada em R$14 mil, durante a operação Mercador.

Além disso, três suspeitos, de 26, 44 e 54 anos, foram presos, por estelionato e por associação criminosa. A ação foi possível, após apuração de golpe praticado no município de Muriaé, em desfavor de uma empresa de laticínios.

Continua Depois da Publicidade

           


As investigações realizadas pela Delegacia de Defraudações, da 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil em Muriaé, foram iniciadas quando o sócio da empresa procurou a PCMG – na última sexta-feira – para relatar que teria sido vítima da prática criminosa.

Na ocasião, foi apurado que um suposto representante teria se passado por funcionário de uma empresa de Itabirito para efetuar a compra dos produtos na Zona da Mata. No entanto, em meio à emissão de notas fiscais, a empresa citada como compradora entrou com contato com a empresa muriaense, alertando sobre o possível golpe.

Continua Depois da Publicidade

Prisões e carga recuperada
Após trabalhos investigativos, a Polícia Civil montou uma força-tarefa em Muriaé para acompanhar a retirada da mercadoria na empresa de laticínios. Inicialmente, ela estaria saindo da cidade em um caminhão branco, no entanto, após levantamentos, os policiais civis constataram que foi realizado transbordo das caixas contendo os queijos para um Fiat Pálio, em outro ponto da cidade. Em seguida, o veículo seguiu em sentido Belo Horizonte, onde foi abordado com apoio da PRF.

Na ocasião, a carga foi recuperada e os homens foram presos e encaminhados à unidade policial. Posteriormente, foram conduzidos até o sistema prisional, permanecendo à disposição da Justiça.

As investigações prosseguem com a finalidade de localizar outros possíveis suspeitos envolvidos na prática criminosa.

Fonte: Polícia Civil de Minas Gerais

O Vigilante Online