(32) 991734242 contato@ovigilanteonline.com

Suspeito de estuprar sobrinhas em Leopoldina é preso pela Polícia Civil no Rio de Janeiro

Suspeito de estuprar sobrinhas em Leopoldina é preso pela Polícia Civil no Rio de Janeiro
Foto: O Vigilante Online

Homem de 60 anos foi localizado em Araras, distrito de Petrópolis, durante uma ação conjunta da PCMG e PCERJ na manhã desta terça-feira.

Uma operação conjunta entre a Polícia Civil do estado de Minas Gerais (PCMG) e a Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro (PCERJ) realizou o cumprimento de um mandado de prisão preventiva em desfavor de um homem de 60 anos nesta terça-feira, 20 de junho.

Ele é suspeito de ter cometido estupro de vulnerável, ocorrido na Zona Rural de Leopoldina, entre os anos de 2010 e 2016.

Continua Depois da Publicidade


Na ocasião, o crime foi praticado em desfavor das duas sobrinhas dele, ambas menores de dez anos na época dos fatos. Conforme a corporação, uma delas, depois de anos recebendo tratamento psicológico, procurou a Polícia Civil e fez o registro da ocorrência. A Polícia Civil não repassou mais informações sobre o caso no intuito de preservar as vítimas.

Conforme informações da delegada Gisela Borges de Mattos, da 3ª DRPC, o homem foi localizado e preso no distrito de Araras, no município de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, após ação realizada por policiais civis da Delegacia Regional da Polícia Civil de Leopoldina em conjunto com policiais civis de Petrópolis e de Itaipava.

O homem foi encaminhado ao sistema prisional, permanecendo à disposição da Justiça.

Continua Depois da Publicidade

Fonte: Polícia Civil de Minas Gerais

Em contato com a Redação do Jornal O Vigilante Online, o advogado Rodrigo Baqueiro Barroso informou que esteve ontem (20) em Itaipava para acompanhar o suspeito. “Ele não é estuprador, apenas evadiu do local na época temendo a própria vida”, afirmou o advogado, acrescentando que “a única menor envolvida já havia sofrido algo similar com o namorado da própria irmã. Não existem duas sobrinhas, só uma. As notícias estão equivocadas. O exame de corpo de delito da garota demorou muito tempo para sair e ela não estava violada. O foragido temeu segurar algo que nem havia sido ele quem praticou”, concluiu o advogado.

Matéria atualizada na quarta-feira (21 de julho) para incluir manifestação do advogado do suspeito.

O Vigilante Online