(32) 991734242 contato@ovigilanteonline.com

Tempo frio, pandemia e bandeira vermelha exigem atenção ao consumo consciente de energia

Tempo frio, pandemia e bandeira vermelha exigem atenção ao consumo consciente de energia

Bandeira vermelha na tarifa de junho contribui para variação da conta.

Famílias inteiras têm passado muito mais tempo em casa ao longo da pandemia: adultos em home office, crianças e jovens estudando on-line, lazer restrito, abre e fecha de geladeira, equipamentos eletrônicos conectados o dia todo e, agora com a chegada do tempo frio, chuveiros na posição Inverno. Somado a isso, a Aneel anunciou na última semana que a bandeira tarifária de junho será vermelha, ou seja, patamar 2, com custo de R$ 6,243 para cada 100kWh consumidos.

Tudo isso influencia diretamente no valor da conta de energia elétrica. E é importante os consumidores ficarem atentos à rotina e adotar práticas de consumo consciente para evitar o desperdício e o susto no orçamento no final do mês.

Continua Depois da Publicidade


Além da chegada das temperaturas mais baixas, onde o chuveiro é o maior vilão para elevações na conta de energia, o faturamento por média também contribui para a variação do consumo de energia. Isso acontece quando há impedimento para a leitura do medidor, ou seja, situações como portão fechado, ausência de pessoas no imóvel ou imóveis desocupados, cães bravos soltos que impedem a aproximação do leiturista por questões de segurança. Nesses casos, automaticamente o sistema emite o faturamento pela média de consumo do cliente nos últimos 12 meses. 

Neste caso, o recomendável é realizar a autoleitura. E é muito simples: em até três dias antes da data da leitura, informada na conta de energia, o cliente faz a leitura do medidor, número que aparece no visor do padrão de energia, e informa à Energisa por meios dos canais de atendimento da distribuidora. Pode ser por meio do Energisa On, Call Center pelo número 0800 032 0196, site energisa.com.br ou em último caso, por conta da pandemia, informando pessoalmente na Agência de Atendimento.

Um jeito fácil de entender sobre variação de consumo e composição da conta de energia é acompanhando os vídeos da sério Descomplicador no link do youtube descomplicador.com.br.

Continua Depois da Publicidade

Bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias também contribuem para a variação do consumo de energia e consequente do valor da conta; e agora em junho será aplicada a bandeira vermelha que representa um acréscimo de R$ 6,243 para cada 100kWh consumidos, sendo que essa cobrança é repassada integralmente às geradoras de energia Criado pela Aneel, o sistema das bandeiras funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no país. Segundo a Aneel maio foi o primeiro mês da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN), registrando condições hidrológicas desfavoráveis e exigindo acionar as termelétricas.

“A bandeira tarifária incide também sobre os impostos estaduais e federais. Então, todos os consumidores precisam redobrar a atenção, planejar o consumo e rever hábitos individuais e coletivos, no dia a dia, para que consigam economizar energia”, explica Luciano Lima, gerente do Departamento de Serviços Comerciais da Energisa, que alerta que com a chegada do inverno e tempo seco sem chuvas, a bandeira tende a ser vermelha.

Consumo consciente 

Alguns equipamentos como chuveiro, aquecedor, geladeira e ferro de passar favorecem o aumento no consumo de energia. Porém, o gasto também está atrelado aos hábitos individuais e coletivos das pessoas que integram a rotina da unidade consumidora.  Para ajudá-lo na tarefa de usar a energia elétrica de maneira consciente, a Energisa listou alguns equipamentos e práticas que potencializam o alto consumo doméstico:  

  • Chuveiro elétrico: responsável por cerca de 25% do consumo de uma residência, o chuveiro elétrico também pode contribuir para que a sua conta de luz venha alta. Então, ao utilizar esse aparelho, verifique a opção em que ele se encontra. A opção ‘Verão’ consome 30% menos que a ‘Inverno’.  
  • Computador: nos intervalos, desligue o monitor ou ative o ‘modo de espera’ do computador ou notebook para poupar energia.  
  • Trabalho e estudo em casa: ao trabalhar ou realizar atividades escolares em casa, procure um ambiente ventilado e com maior entrada de iluminação natural, evitando assim manter as lâmpadas acesas durante o dia. E dê preferência às de LED, pois esses modelos consomem menos energia.  
  • Geladeira: certifique-se de que a borracha está perfeita. Se não estiver vedando bem, a geladeira pode ficar aberta, favorecendo a entrada de ar quente, o que exigirá maior gasto de energia para refrigeração. Além disso, quanto mais tempo aberta a geladeira, mais energia vai consumir. E não coloque alimentos quentes, pois ela vai gastar mais energia para fazer com que o alimento quente chegue à temperatura dos demais. 
      
  • Aparelhos em stand-by: televisão, micro-ondas, DVD, cafeteira e outros equipamentos na tomada consomem energia. Retire-os da tomada após o uso.    
  • Máquina e ferro de lavar: acumule peças e lave tudo de uma vez. Assim, a máquina funcionará com toda a sua capacidade em intervalos maiores, reduzindo o consumo de energia. A dica vale para o ferro de passar roupas.  
     
  • Luminárias: as luminárias e abajures podem consumir a mesma energia que algumas lâmpadas de teto. Evite deixá-los ligados por muito tempo.
  • Equipamentos novos: ao comprar um equipamento novo, tenha a ciência de que haverá aumento no consumo da energia de sua casa. Para minimizar esse gasto, adquira produtos com o Selo Procel. A economia ao longo do tempo vale a pena.  
      
  • Instalações internas: emendas em excesso ou instalações inadequadas podem gerar sobrecarga e aumentar o consumo, além do perigo. Evite, ainda, usar “benjamin”, ou T, para ligar vários aparelhos. Esses dispositivos podem gerar sobrecarga e provocar um curto-circuito e até incêndio.

    Fonte: Energisa