(32) 991734242 contato@ovigilanteonline.com

Leopoldina registra aumento de casos de dengue nos primeiros meses deste ano

Leopoldina registra aumento de casos de dengue nos primeiros meses deste ano

O município de Leopoldina registrou 527 casos prováveis de dengue durante os 4 primeiros meses de 2021 de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Em matéria publicada pelo jornal O Vigilante Online no dia 7 de abril o município registrava 276 casos prováveis da doença.

Até o dia 4 de maio, o estado de Minas Gerais registrou 17.549 casos prováveis (casos notificados exceto os descartados) de dengue. Desse total, 6.774 casos foram confirmados para a doença. Foi confirmado 3 óbitos por dengue em Minas Gerais até o momento. Em Leopoldina não há registro de óbitos.

Continua Depois da Publicidade


Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados 3.408 casos prováveis da doença e, desse total, 2.562 casos foram confirmados. Não foram confirmados óbitos por chikungunya em Minas Gerais até o momento.

Já em relação à Zika, foram registrados 101 casos prováveis e, desse total, 13 confirmados. Não foram confirmados óbitos por zika em Minas Gerais até o momento.

Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG (atualizado em 04/5/2021).

Continua Depois da Publicidade

Como prevenir:

Eliminar os focos de água parada;

Manter os pratos de vasos de flores e plantas com areia até a borda do vaso;

Guardar garrafas com a boca virada para baixo;

Limpar sempre as calhas dos canos;

Não jogar lixo em terrenos baldios;

Colocar o lixo sempre em sacos fechados;

Manter baldes e caixa d´água devidamente tampados e piscinas com colocação de cloro;

Deixar pneus ao abrigo da chuva e da água;

Furar latas de alumínio antes de ser descartadas para não acumular água;

Lavar bebedouros de aves e animais pelo menos uma vez por semana;

Em caso de suspeita da doença, entrar em contato imediatamente com uma unidade de saúde mais próxima de sua residência e jamais utilizar medicação por conta própria.

Fonte: Jornal O Vigilante Online, com informações da SES-MG