(32) 991734242 contato@ovigilanteonline.com

Casa de Caridade Leopoldinense recebe remessa do ‘kit intubação’ para tratamento da Covid-19

Casa de Caridade Leopoldinense recebe remessa do ‘kit intubação’ para tratamento da Covid-19
Divulgação

Medicamentos também foram enviados para instituições de saúde de Além Paraíba, Ubá, Muriaé, Viçosa, Juiz de Fora, Visconde do Rio Branco, Carangola e Santos Dumont.

O Governo de Minas enviou três remessas de medicamentos utilizados para manter a sedação de pacientes com Covid-19 para pacientes em Leopoldina e outros 11 hospitais da região.

O Jornal O Vigilante Online apurou que neste sábado, 3 de abril, Servidores do Município de Leopoldina foram até a Central de Distribuição da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) em Belo Horizonte para trazer os medicamentos até a Casa de Caridade Leopoldinense.

Continua Depois da Publicidade


Conhecidos como “kit intubação”, os bloqueadores neuromusculares, sedativos e anestésicos também foram disponibilizados para instituições de Juiz de Fora, Ubá, Muriaé, Carangola, Visconde do Rio Branco, Além Paraíba e Santos Dumont que tiveram aumento abrupto de consumo e que têm estoques suficientes apenas para mais quatro dias.

O Ministério da Saúde enviou para Minas Gerais, até agora, 3.175 ampolas de atracúrio, 8.075 de rocurônio, 2.025 cisatracúrio, 1.745 de dexmedetomitina, 400 de norepinefrina e 18.060 ampolas de midazolam para o atendimento à Covid-19 e as unidades de Saúde foram contempladas conforme nível de criticidade e risco de falta dos medicamentos.

Hospitais
O Governo de Minas informou que já foram enviadas três remessas desde a última semana. Veja abaixo os hospitais que receberam novos lotes de bloqueadores neuromusculares e sedativos:

Continua Depois da Publicidade

  • Hospital São João Batista – Viçosa
  • Hospital Casa de Caridade Leopoldinense – Leopoldina
  • Hospital Ana Nery – Juiz de Fora
  • Hospital Monte Sinai – Juiz de Fora
  • Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus – Juiz de Fora
  • Hospital de Misericórdia de Santos Dumont – Santos Dumont
  • Hospital São Salvador – Além Paraíba
  • Hospital Evangélico de Carangola – Carangola
  • Hospital São Paulo – Muriaé
  • Hospital Santa Isabel – Ubá
  • Hospital São João Batista – Visconde do Rio Branco

Jornal O Vigilante Online, com informações do G1 Zona da Mata


Leia também:

Reunião em Leopoldina busca solução para falta de insumos para tratamento da Covid na Casa de Caridade

Reunião em Leopoldina busca solução para falta de insumos para tratamento da Covid na Casa de Caridade

Uma reunião emergencial entre representantes dos Poderes Executivo e Legislativo de Leopoldina, Gerência Regional de Saúde (GRS) e Casa de Caridade Leopoldinense (CCL) foi realizada na manhã desta segunda-feira (29) no Paço Municipal.

O encontro teve como pauta principal a busca de uma solução para o grave problema enfrentado pela CCL, conforme alerta emitido através de uma Nota da Mesa Diretora daquela instituição, revelando a situação crítica do Hospital devido ao aumento exponencial e em escala geométrica dos casos de Covid em Leopoldina e região, chegando a ficar por vários dias com 100% de ocupação em sua UTI-Covid.

Além disso, conforme apurou a Reportagem do Jornal O Vigilante Online, a dificuldade em conseguir os insumos necessários no dia a dia de atendimento dos casos de Covid-19 pela Casa de Caridade estaria ocorrendo devido à pandemia da Covid-19 e o consequente aumento no consumo de medicamentos utilizados em terapia intensiva, principalmente aqueles necessários na intubação de pacientes. A escassez destes itens é que tem deixado desguarnecidos os hospitais em várias regiões do Brasil.

Segundo a Nota conjunta da Mesa Administrativa, Diretoria Técnica e Diretoria Clínica da Casa de Caridade, publicada pelo jornal, naquela data era muito baixo o seu estoque do ‘kit intubação’ e, se o número de casos graves de COVID-19 não for desacelerado e continuar no ritmo atual, este estoque será suficiente para, aproximadamente, 15 dias.

A Nota ressaltou também que sem os medicamentos componentes do ‘kit de intubação’, o hospital não dispõe de meios adequados para o tratamento dos casos graves de pacientes acometidos pela COVID-19.

Diante da situação, uma reunião entre autoridades municipais e representantes da Casa de Caridade Leopoldinense foi marcada para a manhã desta segunda. Estiveram presentes, dentre outros, o prefeito Pedro Augusto Junqueira Ferraz, o presidente da Câmara de Vereadores José Augusto Cabral, o secretário municipal de Saúde Márcio Vieira, a provedora da Casa de Caridade Vera Pires e o diretor técnico do Hospital, Dr. Cândido Ladeira.

Através das redes sociais o presidente da Câmara, José Augusto Cabral, informou que a reunião teve caráter emergencial, diante da situação em que se encontra a Casa de Caridade.

José Augusto relembrou que a CCL comunicou na última sexta-feira, sob a forma de alerta, as dificuldades que enfrentava para conseguir adquirir e repor seu estoque de medicamentos essenciais para o atendimento de pacientes da Covid-19. “Como presidente da Câmara participei da reunião, ao lado do Prefeito Pedro Augusto, do secretário Márcio Vieira, Renan Guimarães – diretor da GRS de Leopoldina, a provedora da Casa de Caridade Vera Pires e o Dr. Cândido Ladeira que é o diretor técnico do Hospital. É preciso esclarecer que o problema enfrentado pela CCL ocorre por não conseguir adquirir junto aos fornecedores estes medicamentos que já estariam destinados ao governo federal. A partir daí, decidimos encaminhar um ofício ao Governador de Minas, em nome da Prefeitura, Câmara Municipal, Casa de Caridade e Regional de Saúde solicitando de maneira urgente resolver esta situação”, explicou José Augusto.

O diretor da GRS, Renan Guimarães, informou durante a reunião que havia conseguido em Belo Horizonte alguns dos importantes insumos necessários no Hospital. Ouvido pela Redação no final da tarde, Renan esclareceu que ainda aguardava a confirmação da listagem dos insumos, os quais provavelmente seriam encaminhados para Leopoldina nesta terça-feira, dia 30.

O Jornal também entrou em contato com o prefeito Pedro Augusto, que falou sobre a situação específica da Casa de Caridade, que motivou a reunião. “Desde que assumimos a prefeitura de Leopoldina, uma de nossas primeiras ações foi abrir o diálogo franco e permanente com a Casa de Caridade, no sentido de sempre encontrar soluções para o grave problema em que vivemos com a pandemia do Coronavírus. Muitas ações foram viabilizadas, dentre elas a implantação do Centro de Referência Covid-19 na Escola Municipal Ribeiro Junqueira, que trouxe uma melhoria extraordinária no atendimento a todos os leopoldinenses, que de alguma forma manifestavam indicadores da doença”, afirmou o prefeito.

De acordo com Pedro Augusto, o diálogo com a CCL tem proporcionado colocar à disposição daquela instituição recursos materiais e financeiros, além de todo apoio político para encontrar soluções para o enfrentamento da pandemia. “Leopoldina é considerada hoje pelas instituições de saúde de Minas como exemplo a ser seguido no enfrentamento dessa pandemia que tanto preocupa Minas e o Brasil”, declarou o prefeito, enfatizando que esse diálogo aberto com a Casa de Caridade mais uma vez se vê alicerçado por uma aliança continuada entre o Executivo e o Legislativo leopoldinenses.

Mais Lidas