Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242


Contraprova confirma 1º caso de coronavírus no Brasil

O VIGILANTE ONLINE | Geral - 26/02/2020 - 09:47 | Atualizado: 27/02/2020 - 08:24

Confira algumas medidas de prevenção e controle.


Divulgação
Um homem de 61 anos é o primeiro caso de infecção por coronavírus no Brasil. Ele chegou da Itália no último dia 21 e esteve na Lombardia, a trabalho, entre os dias 9 e 21 de fevereiro, região mais afetada pelo contágio. Ele deu entrada dia 25 no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, com sintomas de ter sido afetado pela Covid-19 — febre, tosse seca, dor de garganta e coriza.

Depois de os primeiros exames, que constataram a contaminação, a suspeita foi confirmada por uma contraprova feita à noite. Os demais passageiros que estavam no voo que veio da Itália, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), serão procurados para que se submetam a exames.

O Ministério da Saúde divulga nesta quarta-feira (26) um esquema para evitar a disseminação do vírus pelopaís. Ontem, em nota, salientou que o hospital “adotou todas as medidas preventivas para transmissão por gotículas, coletou amostras e realizou testes para vírus respiratórios comuns e o exame específico para SARS-CoV2, conforme preconizado pela Organização Mundial de Saúde”.

Ainda segundo a nota do ministério, “com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e de acordo com o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova. Todas as ações e medidas seguidas estão de acordo com os protocolos do Ministério da Saúde e da OMS e diariamente atualizações são informadas em coletivas e boletins epidemiológicos”. Segundo o Albert Einstein, o paciente não precisará de internação, mas deverá ficar isolado. 

Anvisa amplia medidas após resultado preliminar positivo de coronavírus em São Paulo

A Anvisa divulgou as  medidas que está adotando. A agência solicitou à companhia aérea a lista de passageiros que estavam no mesmo voo do passageiro com resultado preliminar positivo para coronavírus. O documento será encaminhado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde  para investigação de outros passageiros do voo que tiveram contato com o caso suspeito. A Anvisa também aumentou o monitoramento dos voos internacionais provenientes de países onde há casos confirmados da doença. A lista foi atualizada na segunda-feira,  24 de fevereiro, pela Organização Mundial da Saúde.  


Continua depois da publicidade




A Anvisa orienta os brasileiros que  estiveram nos países com casos confirmados  da doença e apresentarem febre, tosse, dificuldade em respirar ou outros sintomas respiratórios, procurem atendimento médico de imediato e informe ao profissional de saúde a viagem feita para o exterior.

Implementação de Precauções Padrão

A implementação de precauções padrão constitui a principal medida de prevenção da transmissão entre pacientes e profissionais de saúde e deve ser adotada no cuidado de todos os pacientes (antes da chegada ao serviço de saúde, na chegada, triagem, espera e durante toda assistência prestada) independentemente dos fatores de risco ou doença de base, garantindo que as políticas e práticas internas minimizem a exposição a patógenos respiratórios, incluindo o 2019-nCoV.

Como atualmente não existe vacina para prevenção de infecção por 2019-nCoV, a melhor maneira de prevenir é evitar a exposição ao vírus. Considerando que, até o momento, não há comprovação de que o novo coronavírus esteja circulando no Brasil, não há precauções adicionais recomendadas para o público em geral, mas devem ser reforçadas ações preventivas diárias que possam auxiliar na prevenção de propagação de vírus respiratórios:

• Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete, por pelo menos 20 segundos, respeitando os cinco momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

• Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

• Evitar contato próximo com pessoas doentes.

• Ficar em casa quando estiver doente.

• Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

• Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.


Itália investigada como difusora

Pela primeira vez, a Itália é investigada como difusora do coronavírus. O país, que já tem 322 casos confirmados de infecção, figura no rol daqueles que demandam atenção, assim como Austrália, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Cingapura, Tailândia, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes. O Brasil recebeu pelo menos 5,3 mil voos, no ano passado, desses países. O número de passageiros que vieram de Itália, França Alemanha e Emirados Árabes soma 1,3 milhão de pessoas, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Depois da notícia, o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, compartilhou no Twitter a nota do ministério e escreveu: “Estamos atentos”.

Mais suspeitas

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo investiga mais três casos suspeitos de coronavírus no estado, todos em adultos. São viajantes que vieram de algum dos países que entraram na lista de vigilância do ministério. De acordo com a secretaria, 26 casos já foram descartados em São Paulo.

O órgão de saúde lembrou que pessoas que apresentarem sintomas como febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza e que tenham histórico de viagem em área com circulação do vírus ou contato próximo com algum caso suspeito ou confirmado para o vírus devem procurar o serviço de saúde. A prevenção pode ser feita com uso de máscaras, higienização das mãos e não compartilhamento de objetos de uso pessoal.

Em todo o Brasil, já foram descartados 54 casos suspeitos. Até a última segunda-feira, o Ministério da Saúde indicou que, além dos casos paulistas, havia mais um no Rio. Os secretários estaduais de saúde avaliam ser questão de tempo até o Brasil ter mais casos confirmados do novo coronavírus. Apesar disso, consideram que o país está pronto para conter o avanço da doença e tratar os pacientes, segundo Alberto Beltrame, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).
O Hospital Albert Einstein emitiu comunicado. Confira: 


Fonte: Jornal O Vigilante Online, com informações da Agência Brasil e GRS-Leopoldina



Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2020 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS