Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242


Lote investigado da cerveja Backer é recolhido pela Vigilância Sanitária em Cataguases

O VIGILANTE ONLINE | Região - 17/01/2020 - 10:42 | Atualizado: 18/01/2020 - 09:45

Em Leopoldina, a Vigilância Sanitária fez inspeções durante a semana em vários estabelecimentos. Em apenas um supermercado a marca era comercializada, mas já havia sido retirada das prateleiras.


Marcelo Lopes
A Vigilância Sanitária de Cataguases informou nesta sexta-feira, 17 de janeiro, o recolhimento de unidades da cerveja Belorizontina, produzida pela Backer. Conforme a prefeitura daquele município, subiu para 21 o número de lotes daquela cerveja contaminados. Entre eles encontra-se o lote L2 1464, que foi comercializado em Cataguases, em data anterior ao início das recomendações de retirada destes produtos das prateleiras.

Em Comunicado, o município de Cataguases informou que algumas vendas foram realizadas anteriormente ao início das apurações das contaminações e isso significa que pessoas podem ter alguma garrafa de cerveja contaminada em casa.

A prefeitura daquela cidade ressalta que os comerciantes estão cientes de que todos os produtos da empresa Backer não devem permanecer na área de vendas de seus comércios, caso contrário, serão responsabilizados por transgredir normas legais e regulamentos destinados à proteção da saúde. 


Continua depois da publicidade




A Vigilância Sanitária de Cataguases visitou até o momento 48 estabelecimentos e o trabalho continua em andamento. Além disso,o órgão está disponível para o recebimento de produtos dos lotes contaminados, caso algum consumidor os tenham em suas residências. Em caso de dúvidas entrem em contato com o setor para maiores esclarecimentos. Telefones disponíveis 3429-2600 e 3422-3589.

Leopoldina

De acordo com Vinícius Franzoni, Superintendente de Planejamento e Gestão em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Leopoldina, esta semana o setor de Vigilância Sanitária Municipal realizou inspeções em vários estabelecimentos comerciais do município, dentre eles supermercados, bares, etc.

Segundo Vinícius Franzoni somente um supermercado comercializava o produto na cidade e assim que tomou conhecimento do problema através da mídia, o próprio estabelecimento retirou as garrafas de suas prateleiras, mesmo após verificar que elas não pertenciam aos dois primeiros lotes que apresentaram problemas.

Os lotes das cervejas proibidos de serem comercializados são:

● Backer D2 L1 2007;
● Backer Pilsen L1 1549;
● Backer Pilsen L1 1565;
● Belorizontina L2 1197;
● Belorizontina L2 1348;
● Belorizontina L2 1354;
● Belorizontina L2 1455;
● Belorizontina L2 1464;
● Belorizontina L2 1474;
● Belorizontina L2 1487;
● Belorizontina L2 1546;
● Belorizontina L2 1557;
● Belorizontina L2 1593;
● Belorizontina L2 1604;
● Brown 1316;
● Capitão Senra L2 1571;
● Capitão Senra L2 1609;
● Capixaba L2 1348;
● Fargo 46 L1 4000;
● Pele Vermelha L1 1345;
● Pele Vermelha L1 1448;



Jornal O Vigilante Online, Com informações do Site do Marcelo Lopes e Prefeitura de Cataguases
Leia também:

Quarta morte causada por cerveja contaminada é confirmada em Minas GeraisKiuane Rodrigues/ Record Tv Minas


Fonte: Jornal O Vigilante Online



Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2020 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS