Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242

Irmãos se conhecem em Tebas após quase cinquenta anos

Por Júlio Cabral | Geral - 09/10/2019 - 19:46 | Atualizado: 14/10/2019 - 14:53


O Vigilante Online

Um encontro que parecia improvável foi realizado nesta terça-feira, 8 de outubro, no distrito leopoldinense de Tebas. Sem contato, os irmãos José Gregório de Oliveira, de 72 anos e Maria Sebastiana Gregório, de 47, conseguiram se conhecer esta semana graças ao intenso empenho de sua filha Rosângela do Carmo de Oliveira e o apoio de familiares e conhecidos. Os irmãos mal sabiam do paradeiro um do outro e, quando o encontro ocorreu, foi impossível segurar a emoção e as lágrimas. O acontecimento foi registrado pela reportagem do jornal O Vigilante Online. 
 


Continua depois da publicidade




Quem contou a história e tentou detalhar como tudo ocorreu foi a filha do aposentado José Gregório de Oliveira, Rosângela do Carmo de Oliveira. A motivação para promover o reencontro ganhou força ao longo dos últimos três anos e nesta última semana, com o apoio de uma de suas tias, Ana Maria do Carmo Oliveira, de Leopoldina e uma moradora de Tebas, Valéria Badaró, o encontro se tornou possível. "Comecei a procurar pelas origens da minha família, principalmente pela parte paterna, que nunca soube muita informação, nem do meu avô, nem do meu bisavô. Meu pai pensava que era filho único, pois a mãe dele morreu quando ele tinha dez dias de nascido. Meu pai foi criado pela minha avó, então ele perguntava e ninguém sabia de nada do seu avô paterno, não sabiam o que tinha acontecido depois, e sempre tivemos essa vontade no coração de dar continuidade de saber se tínhamos algum tio, alguma tia, e sempre perguntava em Piacatuba, por parte materna, pois foi com quem ele teve contato", conta a filha do simpático José Gregório. "Uma tia minha, a Ana Maria, conhecia uma moça que foi vizinha da família e que conhecia uma mulher da família dos Gregórios. Queria saber quem era meu avô, bisavô, quero escrever sobre quem eram meus antepassados, de onde vieram, se foram imigrantes, é uma história muito triste, quero saber o começo de minha história", ressaltou, informando que essa procura já completava 3 anos.

A motivação para promover o reencontro ganhou força ao longo dos últimos três anos, disse Rosângela do Carmo de Oliveira, filha de José Gregório de Oliveira.

A família, que reside no Rio de Janeiro, entrou em contato com a tebana Valéria Badaró através das redes sociais, após descobrir, por intermédio de uma parente, que a irmã do Sr. José Gregório seria casada com um homem chamado Valdecir. Apesar da coincidência dos nomes, Valéria, cujo esposo também se chama Waldecir e a família é proprietária rural na comunidade dos Valverde, em Tebas, prontamente identificou quem seria a mulher que também seria casada com um Valdecir, informando os dados da irmã do Sr. José, a Senhora Maria, de 47 anos, moradora da região central daquele distrito. 

O encontro entre Dona Maria e o irmão José Gregório aconteceu nesta terça-feira, no distrito de Tebas, em Leopoldina.

Eles marcaram a viagem do Rio de Janeiro para Leopoldina e na tarde desta terça (8) os dois se conheceram em um encontro emocionante. "Isso pra mim foi uma felicidade, pois há muito tempo eu sei que tenho uma irmã. Mas eu perdi minha mãe com dez dias, e fui pro Rio de Janeiro tem 43 anos. Minha vontade sempre foi de conhecer minha irmã. Ainda tenho o sonho de voltar pra Minas Gerais. Hoje sou aposentado e mesmo morando em cidades distantes, vamos manter contato", declarou emocionado José Gregório, que comemora aniversário nesta sexta-feira. 



Para Dona Maria foi uma felicidade imensa ter conhecido o irmão depois de tanto anos. Além de ter conhecido as sobrinhas, ela enfatizou sobre a felicidade em ter a oportunidade de conhecer o irmão e poder felicitá-lo pelo seu aniversário.


Mãe de um casal de filhos e avó de três netos, Maria ainda informou ao aposentado que ele possui mais um irmão que reside em Belo Horizonte e uma irmã de nome Edna, moradora do Bairro Redentor, conhecido como 'Copasa', em Leopoldina. Esta última, sem contato com eles, se tiver interesse em reencontrar o Sr. Gregório, a família solicita que entre em contato com o WhatsApp do Jornal O Vigilante Online e informe o telefone de contato.





Fonte: Jornal O Vigilante Online




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS