Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242

Ciclistas, motociclistas e pedestres são foco da Semana Nacional do Trânsito

O VIGILANTE ONLINE | Geral - 23/09/2019 - 20:47 | Atualizado: 05/10/2019 - 23:34

Segundo o Ministério da Infraestrutura, cerca de 500 mil pessoas perderam a vida no trânsito entre 2008 e 2017.


Arquivo/O Vigilante Online
O ciclista e defensor da causa da mobilidade urbana Raul Aragão perdeu a vida em 2017, aos 23 anos, atropelado por um carro que trafegava em velocidade acima da permitida na via. Morador de Brasília, ele costumava se locomover pela cidade de bicicleta e atuava como voluntário em organizações que incentivam o ciclismo e defendem a conscientização no trânsito.


Raul foi uma vítima do trânsito e, atualmente, ciclistas, motociclistas e pedestres ainda são as partes mais vulneráveis, por isso, é neles que está o foco das mobilizações da Semana Nacional do Trânsito, que ocorre entre os dias 18 e 25 de setembro com o tema “No trânsito, dê sentido à vida".

Transformar as ruas em um ambiente seguro é um desafio que precisa de uma mudança profunda na sociedade, a partir da educação. É o que avaliou o coordenador-geral da organização não governamental Rodas da Paz, Raphael Barros.


Continua depois da publicidade




“Uma política pública tem o tripé fiscalização, educação e estrutura. Tem que abordar de todos os lados, ter uma mudança profunda na sociedade, a partir da educação, da fiscalização. Ter uma estrutura que permita um trânsito saudável, de baixa velocidade onde a calma vai reinar e o número de acidentes vai diminuir”, disse Raphael.

Dados do seguro DPVAT divulgados pelo Ministério da Infraestrutura mostram que, de 2008 a 2017, cerca de 500 mil pessoas perderam a vida no trânsito no país, e outras três milhões ficaram com algum tipo de invalidez permanente.

Imprudência

A mãe do ciclista Raul, Renata Aragão, contou que a morte do filho ocorreu quando ele estava prestes a se formar na universidade e seu trabalho de conclusão de curso tratava da mobilidade urbana.

A perícia concluiu que o carro que atropelou o estudante estava a uma velocidade de 95 quilômetros por hora em uma via onde a velocidade máxima é de 60 quilômetros. Para ela, o acidente foi uma combinação da falta da experiência do motorista com a imprudência do excesso de velocidade. Renata defendeu punições mais duras para crimes de trânsito como forma de evitar acidentes.

Após a morte do filho, ela passou a se envolver com a temática da segurança no trânsito e mandou dois recados para motoristas e pedestres. “O primeiro recado é: devagar todo mundo chega bem. Sem velocidade as pessoas dificilmente morreriam, poderia haver um machucado, algo assim. A segunda coisa é seguir as leis de trânsito, principalmente a que diz que o maior tem que respeitar o menor, o motorizado tem que respeitar o não motorizado. A empatia com os outros modais é o que está faltando”.

Ministério da Infraestrutura lança a Campanha Nacional de Trânsito

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, lançou, nesta quinta-feira (12), em Brasília (DF), a Campanha Nacional do Trânsito. A iniciativa, coordenada pela Secretaria Nacional de Transportes Terrestres (SNTT), e pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), tem por objetivo conscientizar motoristas, ciclistas e pedestres para ações que transformem o trânsito em um ambiente seguro. A cerimônia de lançamento contou com as presenças do ministro da Secretaria Geral da Presidência, Jorge Oliveira, além de representantes de órgãos do Sistema Nacional do Trânsito, de associações e entidades privadas e parlamentares. 

“O Governo Federal colocou o assunto de trânsito na pauta da sociedade e nos deu a oportunidade de discutir segurança e educação no trânsito. O debate foi provocado. Temos a motivação e o apoio do parlamento para transformarmos essa situação e para entregar à sociedade um trânsito menos cruel do que esse de hoje”, afirmou o ministro. “Que essa campanha traga a todos nós as reflexões e, principalmente, as atitudes, para que todos possamos ser agentes dessa transformação”, completou. 

A campanha será veiculada pelos próximos meses em todo o país através de outdoors, bussdoors, cartazes, mobiliários urbanos e conteúdo para as redes sociais. Na próxima semana, a mobilização ganhará força com a Semana Nacional do Trânsito, celebrada entre os dias 18 e 25 de setembro. Prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a semana será celebrada com ações integradas entre a sociedade e o poder público – federal, estadual e municipal. O tema “No trânsito, dê sentido à vida” segue as diretrizes da Organização das Nações Unidas (ONU) para redução de 50% dos índices de mortalidade no trânsito nos países membros. 

O secretário de transportes terrestres, general Jamil Megid, explicou que, este ano, o foco das campanhas de trânsito será nos mais vulneráveis no trânsito: pedestres, ciclistas e motociclistas, e que a ideia é trabalhar o tema ao longo de todo o ano para que haja uma efetiva mudança de comportamento da população. “Precisamos reduzir as estatísticas de mortes e acidentes, e não há outro caminho senão o da educação. E essa transformação é um trabalho de toda a sociedade. É um trabalho que passa por cada um de nós”, disse. 

Para o diretor do Denatran, Jerry Dias, a Semana Nacional de Trânsito é um momento de reflexão a respeito da necessidade de ações concretas que promovam a redução das mortes e lesões no trânsito. De acordo com Dias, dados do seguro DPVAT revelaram que, de 2008 a 2017, cerca de 500 mil pessoas perderam a vida no trânsito brasileiro e outras 3 milhões ficaram com algum tipo de invalidez permanente. “É uma questão muito complexa, que deve ser considerada como um problema de saúde pública. Por isso, é necessária a construção de soluções por toda a sociedade. Cada pessoa deve entender que faz parte dessa solução, sendo mais cortês no trânsito e compreendendo que, no trânsito, o sentido é a vida”, afirmou. 

Campanhas 2019
A Semana Nacional do Trânsito faz parte da campanha educativa do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para 2019, prevista na Resolução nº 771/2019. Ela começou em maio deste ano e seguirá até abril de 2020. Durante todo este período, serão divulgadas campanhas com temas específicos para chamar a atenção da sociedade sobre o assunto. 

A primeira grande ação aconteceu em maio, quando o Brasil inteiro se mobilizou para promover o Maio Amarelo. Em junho, as campanhas valorizaram as faixas para pedestres e o sinal de vida. Em julho, as iniciativas foram voltadas para a prevenção durante o período das férias escolares, e em agosto, o objetivo foi educar sobre o uso do celular por pedestres, ciclistas e de condutores. 

Fonte: Ministério da Infraestrutura




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS